Fechar
Menu
AGENDE UMA CONSULTA
Busca
Instagram
Facebook
Voltar
Como os LEDs ajudam a melhorar a pele
por Luciana Conrado

Os LEDs emitem um tipo de energia luminosa muito útil em tratamentos dermatológicos. E sua aplicação é completamente indolor e sem efeitos colaterais

Procedimento facial com laser dermatologócio

Originalmente desenvolvidos pela NASA, na década de 60, em experimentos para estimular o crescimento de plantas no espaço, os LEDs (Light Emmiting Diodes) passaram a ser muito utilizados em Dermatologia. Isso porque descobriu-se que a energia luminosa visível emitida por eles estimula processos biológicos que contribuem para a cicatrização e para o rejuvenescimento da pele.  O tratamento realizado com LEDs é conhecido como ledterapia ou fotobiomodulação. Além da luz emitida pelas lâmpadas, a ledterapia também se vale da cor delas, já que cada cor de LED tem uma ação diferente. Um estudo da University of Buffalo, em Buffalo, Nova York, Estados Unidos, mostrou que se trata de uma alternativa interessante para melhorar o processo de cicatrização.

O mercado oferece grande variedade de equipamentos

Existem várias marcas de equipamentos que utilizam LEDs e que são indicados para tratamentos dermatológicos. Um deles é o Fotoage, da empresa espanhola Skymedic. O Fotoage é composto por um mecanismo de acionamento do aparelho, que é controlado pelo dermatologista, e por uma máscara de material altamente flexível que se adapta ao rosto e ao pescoço do paciente e tem 562 LEDs em sua face interna. Esses LEDs emitem luz de quatro cores com potência e comprimentos de onda variados. Para otimizar a atuação do Fotoage, utiliza-se, juntamente com a máscara, protocolos com princípios ativos selecionados de acordo com o efeito desejado.

Como os LEDs atuam

A luz emitida pelos LEDs penetra na pele e age sobre um cromóforo, ou seja, sobre um componente sensível à energia luminosa, provocando uma reação química que libera oxigênio. O cromóforo pode ser, por exemplo, a melanina, o pigmento que dá cor à pele; ou a hemoglobina, um dos componentes do sangue, entre outros.

A ação varia em função da cor do LED utilizado, que determina o comprimento de onda, ou seja, sua capacidade de penetração na pele. A luz azul é a que tem menor comprimento de onda (410 nanômetros); em seguida, vêm as luzes verde (530 nanômetros), amarela (590 nanômetros) e vermelha (630 nanômetros). Em relação a seu efeito, os LEDs coloridos funcionam da seguinte maneira:

  • LED azul – atua na epiderme, a camada cutânea mais externa, tem ação bacteriológica e inibe o crescimento do estrato córneo, o que contribui para deixar a pele mais fina e macia. Segundo publicação do Medical News Today, site especializado em saúde, a luz azul reduz a atividade das glândulas sebáceas, que, geralmente, é exacerbada em peles com acne. Além disso, seu efeito bactericida diminui a inflamação presente nesses casos;
  • LED verde – inibe o excesso de produção de melanina, tem ação anti-inflamatória e estimula a síntese de colágeno e de elastina, as fibras responsáveis pela firmeza cutânea;
  • LED amarelo – possui ação anti-inflamatória eativa a circulação linfática, reduzindo o edema;
  • LED vermelho – tem efeito anti-inflamatório e estimula o processo de regeneração celular e a produção de colágeno e de elastina.

Uma das vantagens do Fotoage é que ele permite a combinação de LEDs de cores diferentes, selecionados de acordo com a ação desejada. Em caso de rosácea, por exemplo, utiliza-se uma combinação de diodos amarelos e vermelhos. Peles com acne se beneficiam com LEDs azuis e vermelhos. Pacientes em tratamento com isotretinoína oral, por exemplo, podem notar melhora na irritação da pele, que é provocada pelo medicamento, com a aplicação de LEDs vermelhos.

Aliás, por ter maior poder de penetração e por sua importante ação anti-inflamatória, a luz vermelha é utilizada em todas as aplicações, sozinha ou combinada com os LEDs de outras cores.

Como comentei, além da aplicação das luzes, são usados, junto com a máscara, produtos com princípios ativos fotossensíveis que potencializam o efeito dos LEDs, melhorando o resultado. A formulação desses protocolos varia em função do que se deseja tratar: acne, manchas e sinais de envelhecimento, entre outros problemas.

Tratamento seguro, indolor e com ótimos resultados

Cada sessão com o Fotoage dura cerca de 30 minutos e a aplicação é totalmente indolor. Para a colocação da máscara, a pele é previamente protegida por um filme semelhante ao que se utiliza para embalar alimentos. No caso de pacientes mais sensíveis, utiliza-se, antes da colocação da máscara, uma capa de acrílico que vem com o aparelho. Durante a aplicação, o paciente sente apenas a pulsação dos LEDs, que têm sua potência e frequência ajustadas automaticamente.

Além de ser um procedimento indolor e não-invasivo, a aplicação de LEDs também é totalmente segura. Como eles não produzem calor, não há risco de queimaduras. A aplicação pode, inclusive, ser realizada em gestantes (com anuência do ginecologista que acompanha a paciente). A ledterapia também é útil depois de alguns procedimentos dermatológicos, como peelings ou aplicação de lasers.

A partir da primeira sessão já se nota mais viço na pele. Dependendo do caso, porém, pode ser necessário fazer mais de uma sessão. Converse com seu dermatologista para saber o que é mais indicado para você.

Compartilhe Isso:
Comentários
Comentários  (0) Comentário(s)

Deixe Seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Telefone: 11 5561 0516
Endereço: Av. Pavão, 955 cj. 47 Moema, São Paulo - SP
Horário de atendimento: Segunda a Sexta-feira 9h às 19h . Sábados das 8h às 12h
Instagram
Facebook
© Copyright 2019 - Luciana Conrado Dermatologia. Todos os direitos reservados. O conteúdo deste site não pode ser reproduzido, distribuído, transmitido ou usado, exceto com a permissão prévia por escrito. Site by Miss Lily
Open chat