Flacidez Corporal

A flacidez é um dos problemas que mais incomodam o público feminino.

Ela é decorrente da diminuição da tonicidade da pele, sendo o sedentarismo e a má alimentação os principais agravantes da situação. A prática de exercícios físicos estimula o tônus muscular, melhorando a flacidez corporal.

Nas mulheres após a menopausa e idosos de ambos os sexos, observa-se a substituição de parte dos músculos por gordura.

Músculos e pele estão relacionados à flacidez corporal. As causas que contribuem para a flacidez muscular são: sedentarismo, alimentação inadequada, efeito sanfona (o famoso engorda-emagrece-engorda) e exposição solar. Já a flacidez cutânea ocorre, principalmente, devido à redução e desestruturação das fibras colágenas e elásticas. O resultado é a pele “caída” e com aspecto envelhecido.

Para a melhora da flacidez dos músculos é preciso manter uma alimentação rica em proteínas, atividades físicas anaeróbicas, alimentação balanceada, proteção solar, intervenção cirúrgica ou com tratamentos que estimulem a formação de colágeno e elastina novos. Diferentes terapêuticas podem atingir esses resultados, por meio de estímulos elétricos, térmicos, químicos e associação de tecnologias. Cabe ao médico indicar o procedimento mais adequado para cada caso e idade, considerando contraindicações, expectativas e potencial resultado.

Radiofrequência (LEGACY®): É considerado um dos métodos mais eficazes para o tratamento da flacidez. O calor intenso nas camadas mais profundas da pele causa retração imediata das fibras de colágeno. Durante a sessão, é possível sentir leve sensação de calor. Os resultados são visíveis após a quarta sessão e não é preciso interromper as atividades normais do dia a dia. Com o aumento da produção de colágeno e elastina a pele fica mais firme.

Infravermelho: A luz penetra na pele e aquece seletivamente alguns milímetros da derme, provocando a contração das fibras de colágeno e a “remodelação” da área. Em associação com a radiofrequência, costuma mostrar bons resultados.

Ácido poli-L-láctico (SCULPTRA®): Antes utilizado apenas para a flacidez facial, vem sendo empregado com sucesso também para a flacidez corporal. É injetado por meio de agulha ou cânula no local afetado, melhorando o aspecto e espessura da pele e estimulando o colágeno. É usado principalmente nos joelhos, abdômen e dorso das mãos. As aplicações são feitas mensalmente e o resultado aparece de quatro a seis meses após a terceira sessão.

Ultrassom Microfocado (ULTHERA®): Atinge profundidade maior na pele, chegando à camada mais profunda da derme. Age por aquecimento, regenerando as fibras musculares e eliminando a flacidez. É um procedimento não invasivo, pouco dolorido e com excelentes resultados.

Hidropaxiapatita de cálcio (RADIESSE®): Gel injetável composto por microesferas que estimulam a produção de colágeno e funcionam como preenchedoras. Os efeitos geralmente são percebidos 6 semanas após a primeira sessão. 

Tecnologias associadas: Vários procedimentos são usados em uma mesma sessão para obter resultados mais rápidos e concentrar o tempo de recuperação.