Acne rosácea

Ocorre principalmente em adultos entre 30 e 50 anos e é mais frequente em mulheres, cujo quadro, em geral, é mais extenso e moderado. Formas mais localizadas e graves são encontradas mais comumente nos homens. Raramente é observado o diagnóstico em negros.

A rosácea é uma doença que afeta a pele centrofacial. Na fase pré-rosácea, há eritema discreto na face, que se agrava com surtos de duração variável, surgindo espontaneamente ou pela ação de fatores como luz solar, calor, frio, vento, álcool e alimentos quentes. Dentro de meses ou anos, este eritema episódico pode tornar-se permanente, com formação de telangiectasias. Não há tratamento curativo para a rosácea. O programa terapêutico empregado varia com o estágio e a gravidade da doença.

Todos os fatores desencadeantes ou agravantes devem ser afastados, tais como bebidas alcoólicas, exposição solar, vento, frio e ingestão de alimentos quentes. A pele do paciente com rosácea é extremamente sensível a produtos químicos e físicos, como sabões, higienizadores alcoólicos, adstringentes, abrasivos e peelings.

Os agentes antimicrobianos mostram-se efetivos no tratamento. Como a radiação ultravioleta é um desencadeante importante, é fundamental o uso de filtros solares cotidianamente no rosto, escolhendo o produto mais adequado para cada tipo de pele. O tratamento com luz intensa pulsada (LIP), quando realizado de forma adequada, é muito eficaz para a acne rosácea.